Defender a Justiça do Trabalho contra sua extinção é o dever de todos

Após a reforma trabalhista, houve considerável redução na quantidade de feitos ajuizados, por próprio receio do trabalhador devido à atual situação econômica do país em não conseguir um novo emprego, e também pelas diversas modificações trazidas pela Reforma Trabalhista. Segundo o relatório do TST, essa redução foi de 35,5%. 
O fim da Justiça do Trabalho não reduziria custos nem melhoraria a economia ao evitar a aplicação dos direitos sociais, com tantos milhões de desempregados. As pessoas tenderiam a ganhar menos e a trabalhar sem nenhum tipo de garantia, aumentando-se as doenças e acidentes de trabalho. 

Comissão de Direito do Trabalho 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *