OAB PG discute empregabilidade trans

No Dia da Visibilidade Trans, a OAB Ponta Grossa, através da Comissão da Diversidade Sexual e de Gênero, discute empregabilidade trans em live. O evento, que será transmitido pela plataforma Zoom e também pelo Facebook da entidade, acontece nesta sexta-feira (29), a partir as 19 horas. O debatedor convidado será Rodrigo Costa, graduado em Gestão de Recursos Humanos e Processos Gerenciais.

Para a advogada Thais Boamorte, presidente da Comissão, o tema é bastante pertinente e atual. “Grande parte das pessoas trans são expulsas de casa e acabam vivendo à margem da sociedade. Muitos largam estudos e não conseguem colocação no mercado de trabalho, sendo levados à prostituição”, fala. “Por isso, trazemos essa discussão”, explica. Entre os temas abordados, serão repassadas dicas de como elaborar currículo, o que fazer antes e durante a entrevista, além de debater sobre o comportamento das empresas. “Queremos demonstrar a importância para as empresas de ter um quadro diversificado e da equiparação”, comenta.

Ainda segundo a advogada, a Comissão busca ouvir os anseios e necessidades da comunidade e trazer esses debates para a esfera jurídica. “Mais do que debater leis e legislação, sabemos da responsabilidade social da entidade, da Comissão. E uma das formas de contribuir com a formação cidadã da comunidade é promover debates e discussões dessa natureza”, aponta.

Para participar da live, os interessados podem buscar o link através das mídias sociais da OAB Ponta Grossa e da Comissão. Mais informações pelo telefone 42 30282313.

Dia da Visibilidade Trans

A data surgiu em 2004, quando um grupo de ativistas trans participou, no Congresso Nacional, do lançamento da primeira campanha contra a transfobia. A ação foi promovida pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, com o objetivo de ressaltar a importância da diversidade e respeito para o movimento trans, representado por travestis e transexuais.

A data passou, então, a representar a luta cotidiana das pessoas trans – especialmente as que se encontram em situação de vulnerabilidade – pela garantia de direitos e pelo reconhecimento da sua identidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *