Na OAB Londrina, reunião regional de presidentes analisa realidade da advocacia

No I Encontro Regional dos Presidentes de Subseções, realizado em Londrina na sexta-feira (30/4), os dirigentes presentes narraram a dificuldade de atendimento pelos números de telefones divulgados pelos tribunais. Além da anfitriã, a presidente da OAB Londrina, Vânia Queiroz, tomaram parte do encontro os presidentes Dirceu Rosa Junior (Jacarezinho), Francisco Edson Vidal Sampaio (Bandeirantes), Luis Enrique Bruno Servilha (Cornélio Procópio), José Vitor Al Majida de Almeida Junior (Arapongas), Geiel Heidgger Ferreira (Ibaiti) , Luiz Henrique Maciel Branco (Ivaiporã), Ailson Jesus Levatti (Santo Antônio da Platina) e Paulo Madeira (Wenceslau Braz). Também estiveram em Londrina o presidente da Seccional, Cássio Telles; a vice-presidente, Marilena Winter; o diretor-tesoureiro, Henrique Gaede; e o diretor de prerrogativas, Alexandre Salomão.

Além da dificuldade para atendimento nos tribunais, os presentes também relataram estar encontrando barreiras para as tentativas de contato com alguns magistrados e atraso no cumprimento dos mandados. “Os advogados continuam com seus escritórios abertos, recebendo testemunhas e partes para audiências, mas os fóruns ainda estão fechados. Por isso, os presidentes consideram que é preciso assegurar que aqueles que não puderem fazer audiências virtuais tenham a possibilidade de utilizar a sala presencial, conforme resolução 341 do Conselho Nacional de Justiça”, afirma o presidente da OAB Paraná, Cássio Telles.

Os diretores da seccional listaram as ações que vêm sendo implementadas, inclusive a entrega da pauta da advocacia no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), no mês de março. “A maior preocupação é quanto ao cumprimento dos mandados e à necessidade de estruturar melhor o primeiro grau”, resume Telles.

Tecnologia

O investimento em tecnologia nas subseções também esteve em pauta no encontro. “São investimentos pouco visíveis, mas fundamentais para a modernização e transparência da entidade”, comentou o presidente. Entre as ferramentas que estão em fase adiantada de implantação estão as referentes à do Compliance, Portal da Transparência, software para gestão de compras e do BI (Business Intelligence), uma das mais modernas ferramentas para sistematização de informações. “Estamos preparando a Seccional para uma nova era e a deixaremos pronta para a próxima gestão”, destacou Cássio.

Sobre o setor de Compliance, o presidente ressalvou que o comitê será independente, terceirizado, para que denúncias sejam apuradas sem qualquer risco de interferência. O Portal de Compras também trará mais agilidade e transparência nas demandas da Ordem no Estado.

Marilena Winter ressaltou que apesar da pandemia foi possível avançar bastante e alcançar várias metas. “Essa nova gestão da Ordem vai integrar informações de todas as subseções. Será a primeira seccional a contar com inteligência artificial para sistematizar todos os dados. A pandemia alertou a advocacia e a OAB de que não temos como fechar os olhos para a utilização das ferramentas tecnológicas de gestão”, comentou em referência ao BI.

Salomão citou o lançamento do sistema eletrônico de ocorrência, que facilita os encaminhamentos dos problemas enfrentados pela advocacia. “É mais um mecanismo para que a gente tenha uma advocacia cada vez mais valorizada e respeitada”, pontuou. Os diretores destacaram ainda a plataforma de atendimento de consultas dos advogados, a ser lançada em breve. A plataforma coloca a OAB-PR como pioneira na oferta desse tipo de sistema para a advocacia do estado.

Prioridades

Estiveram presentes ao encontro os conselheiros federais Artur Piancastelli e Airton Martins Molina, que falaram sobre o trabalho no Conselho Federal e destacaram a importância de as pautas da advocacia serem prioridades nos debates, em detrimento das pautas político-partidárias. Também estiveram em discussão as próximas eleições da OAB e as ações de auxílio à advocacia promovidas pela Caixa de Assistência dos Advogados do Paraná (CAA-PR).  Telles falou do grande avanço com as novas regras que estabelecem paridade de gênero e cotas raciais.

O vice-presidente da CAA-PR Nelson Sahyun Junior anunciou, junto com Cássio Telles, que serão destinados mais R$ 810 mil para o auxílio extraordinário, que faz parte do pacote da pandemia, o que corresponderá a 1.350 créditos em favor dos advogados e advogadas que comprovarem os requisitos. Desse valor, 50% vieram da OAB e os outros 50% são recursos da CAA-PR. Até o início desse ano , foram concedidos 1.200 créditos, no valor de R$ 600 cada.

Para Vânia Queiroz, as ações que olhem com muita atenção para o momento atual são fundamentais. “A advocacia vem sofrendo os reflexos econômicos desta prolongada crise sanitária e estamos vendo muitos escritórios encerrando  ou reduzindo as suas atividades e seu quadro de advogados”, observou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *